Entendendo a Vida da Lâmpada

Postada por: Juliane Avancini em 8 de novembro de 2017 | Nenhum Comentário

As lâmpadas de descarga em alta pressão (HID) são consideradas eficientes e produzem uma luz bastante brilhante. Estas lâmpadas possuem diferentes formas e potências, com diferentes índices de reprodução de cor (IRC), podem ser utilizadas em luminárias abertas ou fechadas e necessitam de reatores para sua ignição e funcionamento.

Outra característica das lâmpadas de descarga em alta pressão (HID), é que elas possuem grande durabilidade, tendo uma vida mediana estimada de 3.000 a 35.000 horas, dependendo da tecnologia da lâmpada e fabricante.

O conceito de vida de uma lâmpada é dado em horas e é definido por critérios preestabelecidos por normas técnicas, considerando sempre um grande lote testado em laboratório sob condições controladas e de acordo com as normas pertinentes. No entanto, quando falamos de vida da lâmpada, precisamos entender o que cada definição de vida da mesma significa. Vida média e vida mediana estão relacionadas à mortalidade ou falha da lâmpada, e vida útil está relacionada a manutenção do fluxo luminoso da mesma.

A vida média da lâmpada é o cálculo da média aritmética do tempo de duração de cada lâmpada ensaiada em laboratório.

Já a vida mediana é o número de horas onde 50% da amostra das lâmpadas ensaiadas em laboratório falharam, ou seja, deixaram de acender.

A vida útil é uma previsão da perda de eficiência da lâmpada e refere-se ao número de horas decorrido, quando se atinge 70% da quantidade de luz inicial, devido à depreciação do fluxo luminoso de cada lâmpada, somado ao efeito das respectivas queimas ocorridas no período, ou seja, 30% de redução na quantidade de luz inicial.

A depreciação do fluxo luminoso é o percentual de redução de fluxo luminoso, ou seja, da emissão de luz de uma lâmpada, durante um período de operação. Todas as fontes luminosas sofrem depreciação do fluxo luminoso, sejam elas incandescentes, fluorescentes, HID, Led, etc. A depreciação percentual de perda do fluxo luminoso utilizada para determinar o final da vida útil varia de 10% a 30% conforme o tipo de tecnologia da lâmpada.

Os principais fatores que contribuem para esta depreciação são:

1)     O número de horas de uso e o número de operações (liga – desliga);

2)     O desgaste dos componentes da lâmpada e reator;

3)     A poeira que se acumula nas lâmpadas ou luminárias;

4)     A diminuição do poder refletor das paredes e tetos por conta de seu escurecimento progressivo.

Nas lâmpadas de descarga em alta pressão (HID), o ciclo de funcionamento também está diretamente relacionado a sua vida útil. Ciclos de funcionamento mais curtos e com partidas mais frequentes, encurtam a vida das lâmpadas. Já os ciclos de funcionamento mais longos, com partidas menos frequentes, prolongam a vida das lâmpadas.

A taxa de mortalidade e de degradação de fluxo luminoso não são constantes ao longo do tempo de uso da lâmpada, variam a cada modelo e fabricante, e se comportam em laboratório de forma bem diferente do que na vida real. Além disso, uma lâmpada pode chegar ao final de sua vida útil sem que a mesma falhe, ou seja, a perda de iluminação poderá ter impacto negativo importante na área, já que porque a lâmpada ainda acende, continuará em uso até “queimar”.

Poucos são os fabricantes que disponibilizam as especificações técnicas completas de suas lâmpadas (para exemplo, clique aqui). No entanto, essas são informações importantes tanto para avaliação técnica quanto financeira para que projetistas façam a recomendação mais adequada e para que clientes e usuários possam tomar a decisão de qual tecnologia utilizar em suas instalações.

Além do tipo de tecnologia aplicada, o padrão de qualidade de cada equipamento influencia muito na vida útil das lâmpadas.

Escolher o reator correto é fundamental para garantir o melhor desempenho das lâmpadas de acordo com os projetos elétrico e luminotécnico, contribuindo diretamente para a manutenção do fluxo luminoso e adequado funcionamento.

A Lumino Energy Solutions traz a solução do gHID, reator eletrônico de alta frequência para lâmpadas de descarga em alta pressão (vapor metálico). Com o gHID, sua empresa perceberá melhora na vida útil da lâmpada, com manutenção do fluxo luminoso, e aumento da vida média de 2 a 3 vezes, reduzindo as despesas com manutenção e trocas de equipamento (para saber mais sobre o assunto, clique aqui). Entre em contato com a nossa equipe para realizar um estudo técnico detalhado com grandes ganhos em economia de energia e redução de custos.

Compartilhar

Deixe um Comentário